top of page

Gastronomia portuguesa é das mais amigas do ambiente.

As regras da sazonalidade e do aproveitamento da gastronomia portuguesa tornam este tipo de regime alimentar uma das dietas mais sustentáveis. No Dia da Gastronomia Sustentável falámos com a nutricionista Inês Panão para conhecer algumas dicas para comer bem sem prejudicar o ambiente.

O que é uma alimentação sustentável?

De acordo com a FAO, sustentabilidade são as práticas que permitem garantir os direitos do homem, satisfazendo as necessidades actuais e futuras, sem provocar danos no ecossistema de forma irreversível, nem comprometer as gerações que estão por vir. Desta forma, a sustentabilidade abrange o ambiente, mas também conteúdos económicos, políticos e sociais.


A alimentação sustentável é aquela que tem um baixo impacto no ambiente e garante a segurança alimentar e nutricional da população, a saúde actual e futura. Por isso uma alimentação sustentável respeita o ambiente, mas também os recursos naturais e humanos.


E é possível ter uma alimentação 100% sustentável?

Os produtos de origem vegetal são mais amigos do ambiente porque precisam de menos água para serem produzidos, têm baixa produção de gases com efeito de estufa e ainda permitem uma reutilização das terras e regeneração natural dos recursos. Por outro lado, os alimentos de origem animal têm um impacto menos positivo sobre estes indicadores.


Para além da produção alimentar, a sustentabilidade engloba outros conceitos. Por exemplo, a distribuição dos alimentos. Cadeias curtas, com poucos operadores são mais sustentáveis, uma vez que existe maior proximidade entre o produtor e o consumidor. Uma alimentação 100% sustentável vai desde a produção até ao que fazemos aos alimentos (mesmo depois do consumo).


É por isso difícil definir que alguém faz uma alimentação 100% sustentável, mas acredito que seja possível. Existem portugueses veganos, que produzem alguns dos seus alimentos e compram localmente. Para além disso, ainda reutilizam ao máximo com a combustão.


Por que motivo a gastronomia portuguesa é considerada uma das mais sustentáveis?

A alimentação portuguesa tem por base a alimentação mediterrânica, rica em frutas, hortícolas, cereais e leguminosas, e com um consumo moderado de proteína animal. Promove ainda a compra local e respeita a sazonalidade, tornando-se mais amiga do ambiente.


Que tipo de ingredientes saudáveis na nossa gastronomia primam pela sustentabilidade?

Os alimentos portugueses que primam mais pela sustentabilidade são as hortícolas, frutas, cereais e leguminosas.


Como começar quando se pretende ter uma alimentação mais sustentável?

Ter acções mais sustentáveis é algo que todos devemos fazer, pelo planeta e pelas gerações futuras. E na verdade não custa, porque pequenas coisas podem fazer grandes diferenças, tais como:


- Definir uma ementa de refeições e respectiva lista de compras. Assim evita-se comprar alimentos desnecessários e logo o desperdício.

- Utilizar sacos de pano para transportar as compras. E não precisam de ser comprados, podem ser feitos de tecidos em casa com roupas que já não usamos ou tecidos de lenços.

- Armazenar os alimentos de forma correcta em casa para evitar que se estraguem. Guardar de imediato no frio depois de comprados e organizar a despensa por prazos de validade.

- Reutilizar as embalagens.

- Optar por alimentos da época.

- Comer leguminosas com regularidade. São uma excelente substituição da proteína animal (carne e peixe).

- Incluir hortícolas no prato ao almoço e jantar.

- Variar a alimentação e fazer algumas refeições vegetarianas.

- Ferver a água numa chaleira para cozinhar em vez de esperar que aqueça na panela.

- Reutilizar as sobras para fazer outras receitas, nunca deitar comida fora!


Um passo importante também tem a ver com escolher produtores locais, especialmente os que se focam na agricultura sustentável. Os agricultores portugueses têm vindo a acompanhar este crescimento na importância dada à sustentabilidade e a outros temas mais actuais. Um bom exemplo disso são os fruticultores que participam na Academia do Centro de Frutologia Compal e que, através desta iniciativa, procuram estar sempre a par das últimas novidades nos temas da sustentabilidade e não só.


Uma alimentação sustentável é necessariamente mais cara?

Uma alimentação sustentável não é de todo mais cara. Isso é mito! Começando logo pela compra de alimentos da época e à base de hortícolas, frutas e leguminosas, esse tipo de alimentação fica bem mais em conta.


Para além disso, ter atenção ao armazenamento, conservação e reutilização dos alimentos, permite-nos não só evitar o desperdício, mas também poupar em novas compras. Falando ainda nas compras, se for definido um menú de refeições e respectiva lista de compras podem aproveitar-se promoções de alimentos.


Quais são os maiores pecados na cozinha portuguesa?

A alimentação actual dos portugueses mudou nos últimos anos, dando mais primazia a alimentos processados e carne e, em contraste, menos vegetais. E por isso pode ser menos amiga do ambiente. O consumo de alimentos de origem animal usa mais recursos e produz mais gases de efeito de estufa, em comparação com os de origem vegetal.


Créditos da Notícia: N.N.


Comments


bottom of page