top of page

Noélia Jerónimo: Quem é a Chef do Ano 2021

Nascida em Tavira, abriu a 07/07/2007, às 7 da tarde, o Restaurante Noélia & Jerónimo. Ganhou prémios, e teve em 2020 um dos mais difíceis anos de sempre. Diz ser feliz a fazer pessoas felizes.

Noélia Jerónimo, restaurante, chef do ano, prémios, mérito, chefs, gastronomía, food

2020 ficará para sempre na história de Noélia Jerónimo. Primeiro foi o confinamento que a afastou da cozinha, onde tinha feito um forte investimento no defeso; depois a covid-19 levou-a à cama do hospital durante algumas semanas. Antes, com as portas fechadas, manteve a chama acesa, cozinhando para médicos, enfermeiros e pessoal na primeira linha de luta contra a pandemia, mas também para quem ficou sem acesso a refeições, desdobrando-se no apoio à comunidade. Começou a temporada já recuperada, mas foi obrigada a encerrar no segundo confinamento. Ainda assim, não baixou os braços, reabrindo logo que possível, distribuindo sorrisos, mesmo por detrás da máscara cirúrgica.


Noélia nasceu em Tavira, a 3 de julho de 1971, e começou a trabalhar aos 14 anos. Servia às mesas numa pastelaria, onde conheceu aquele que seria o seu futuro marido. Trabalhou depois numa pizaria, a estender massas e coberturas, até que decidiu comprar a casa ao lado e abrir um restaurante, Noélia & Jerónimo, em Cabanas de Tavira, no Algarve.

Autodidacta, explica, com a modéstica que a caracteriza, ter acertado nas receitas por ter experimentado vezes sem conta e só após ter lido muito para perceber a técnica ou através da internet, nos vídeos que vê depois de fechar as portas. “Sabor, sabor, sabor” é uma das expressões que gosta de usar e aplicar, por isso, sempre muito exigente com os produtos, faz questão de preservar fornecedores e de se levantar cedo para ir ao mercado e à lota.


Tem pela família, onde já brinca uma neta, um amor incondicional e pelo trabalho uma paixão sem limites, em que a “sua” ria Formosa, em frente ao restaurante, é inspiração diária. O atum e as ostras estão entre os produtos que mais gosta de trabalhar, mas na ementa existem muitos clássicos e outras tantas recriações, do polvo trapalhão ao arroz de limão com robalo e amêijoas, dos filetes de peixe-galo às pataniscas de polvo, sem esquecer o já famoso arroz de carabineiros, que lhe têm valido Garfo de Prata desde 2018.


O mais importante, garante a Chef do Ano 2021, prémio atribuído com o apoio Recheio - Cash & Carry, é “o amor e a entrega que se dedica a cada prato. É preciso gosto e vontade. São estes os ingredientes secretos em qualquer receita de sucesso”.


Na edição de 2021, onde ganha também um Garfo de Prata, que pode reservar desde e que conta com o patrocínio do Recheio - Cash & Carry e BPI, através da Loja Impresa, pode ler-se que “Oxigénio é a palavra que por estes dias identifica Noélia Jerónimo. Foi o oxigénio que lhe faltou enquanto lutava no hospital contra a covid-19. Mas é também esse oxigénio, impregnado de mar e de ria, que lhe dá energia para continuar diariamente a ir ao mercado, a cozinhar, a estudar e a imaginar e testar novas receitas, inspiradas no Algarve que ama e cuja paixão partilha em cada ida às mesas. Na esplanada ou na sala interior, provam-se as receitas clássicas que dão fama a este pequeno restaurante, como as pataniscas de polvo com arroz de coentros, a canja de amêijoas ou os filetes de peixe-galo.


Sempre em busca de mais, ao longo dos anos, Noélia arriscou e alargou horizontes para dar nova vida aos produtos da região, como as ostras do Moinho dos Ilhéus, que apresenta em ceviche, tártaro ou em arroz, e a muxama, que abrilhanta as entradas. À ementa chegaram outros incontornáveis pratos, como o ceviche de dourada, o arroz de limão com corvina e amêijoas e o majestoso arroz de carabineiros” (Preço médio €35).


O restaurante Noélia & Jerónimo (Tavira Avenida da Ria Formosa, Edifício Cabanas-Mar, Cabanas de Tavira. Tel. 281 370 649) encerra à Quarta-feira.


Créditos da Notícia: Boa Cama Boa Mesa


326 visualizações

Comentarios


bottom of page