top of page

Prémio Carreira 2023 do Guia Boa Cama Boa Mesa distingue Justa Nobre

Reunido em Lisboa, o Júri do Prémio Carreira 2023 do Guia Boa Cama Boa Mesa decidiu distinguir a Chef e empresária Justa Nobre. A distinção é entregue dia 28 de Março durante a cerimónia anual que anuncia os prémios do guia do Expresso para os melhores restaurantes e hotéis.

Com a atribuição do Prémio Carreira 2023, “distingue-se uma personalidade que tem contribuído decisivamente para o desenvolvimento e afirmação da gastronomia e restauração em Portugal, com uma vida profissional dedicada a este sector e com amplo reconhecimento pela comunidade", pode ler-se na justificação da decisão. A distinção será entregue a 28 de Março, na cerimónia anual que premeia os melhores restaurantes e hotéis nacionais. O Guia Boa Cama Boa Mesa 2023 é publicado a 31 de Março.


Reconhecido desde os anos 90, quando os cozinheiros quase não tinham exposição pública, o nome e o trabalho desenvolvido por Justa Nobre têm cativado clientes a seguirem-na nas diversas moradas que abriu ao longo de quase 45 anos, “sendo um exemplo de determinação e uma referência da cozinha portuguesa, erguendo-se sempre de sorriso rasgado no rosto e oferecendo uma palavra amiga a quem a contacta”.


Na justificação da distinção, o Júri, composto por Francisco Pinto Balsemão (Presidente), José Bento dos Santos, Vítor Sobral, Fortunato da Câmara e Paulo Brilhante, recorda o trajeto profissional da premiada com o Prémio Carreira 2023: "Quando chegou a Lisboa, com apenas 15 anos, para trabalhar numa casa particular, a jovem Justa, a segunda de sete irmãos, não adivinhava a viagem que a grande cidade lhe reservava. Nascida em 1957, na localidade transmontana de Vale de Prados, no concelho de Macedo de Cavaleiros, aos 19 anos já estava casada na capital com José Nobre. A cozinha faz parte da sua vida desde a adolescência, sempre em grande cumplicidade com as irmãs (foi com uma delas que começou a fazer os primeiros pratos num pequeno espaço em Lisboa). A curiosidade em descobrir outros caminhos e a garra para arriscar fez o jovem casal aceitar o primeiro desafio profissional em finais dos anos 70, com a abertura do restaurante ‘33’, em Lisboa. Justa liderava pela primeira vez uma cozinha, e José a sala.


Depois de oito anos, e com o nome da dupla a consolidar-se, tiveram uma passagem efémera pelo Iate Ben, em Carcavelos, e foi aí que nasceu a famosa ‘Sopa de santola’, que Justa Nobre mantém até hoje na suas ementas. Em 1988, insiste em ter o seu próprio espaço, e é assim que surge o Constituinte, junto à Assembleia da República. Em diversas entrevistas, Justa e José Nobre assumem que na época uma crítica publicada no Expresso deu um grande impulso ao pequeno espaço da rua de S. Bento: ‘no dia seguinte fartámo-nos de trabalhar e nunca mais parámos'.

Em 1990, abrem em nome próprio O Nobre, na Ajuda. Começa, então, a formar-se uma corrente de clientes que buscam os pratos que Justa Nobre vai idealizando com um lado autodidacta, como a própria assume, experimentando novas técnicas e produtos. Uma cozinha mais autoral, que cruzava as raízes transmontanas com pratos de outras regiões criando uma legião de admiradores, entre eles o então Presidente da República, Mário Soares. Com o marido na sala a receber os clientes mais ilustres dos vários quadrantes da sociedade, e a ajuda preciosa da irmã Ana na cozinha, o restaurante marcou os anos 90 do último século.


Em 1998 surge a proposta de expandir o ‘Nobre’ em vários espaços de Lisboa. A aventura não correu bem e deixou marcas profundas que demoraram anos a recuperar. Também aqui a resiliência de Justa Nobre, que nunca perdeu a mão de cozinheira, e a garra do casal para recomeçar do zero, como sempre afirmaram, foram determinantes para trazer de volta o espírito e a qualidade associados ao apelido Nobre, primeiro num belo espaço no Montijo, e depois na actual localização no Campo Pequeno, em Lisboa. A par deste renascimento, desde há cerca de 15 anos, Justa Nobre tem publicado as suas receitas em livros, associando o nome a produtos da região de Trás-os-Montes, de onde é uma orgulhosa embaixadora, sendo presença assídua em palestras e programas de televisão".


O Prémio Carreira do Guia “Boa Cama Boa Mesa” tem como propósito prestar homenagem e elogiar, de uma forma pública, uma personalidade que se destaque nas diversas vertentes associadas à Boa Cama e à Boa Mesa. Nesse sentido, Justa Nobre é um exemplo amplamente reconhecido de dedicação à vertente “Boa Mesa”. Por decisão do Júri, o Prémio Carreira “Boa Cama Boa Mesa” é atribuído, alternadamente, às áreas de “Boa Mesa” e “Boa Cama”.


O prémio já distinguiu o empresário e cozinheiro Vítor Sobral, em 2016; Evaristo Cardoso, fundador e proprietário do restaurante Solar dos Presuntos, em 2017; Dionísio Pestana, fundador e Presidente do Grupo Pestana, em 2018; João Pires, Master Sommelier, em 2019; Jorge Rebelo de Almeida, fundador e Presidente do grupo Vila Galé, em 2020; Lurdes Graça, do restaurante Manjar do Marquês, em Pombal, e Emílio Andrade, do restaurante Adega Tia Matilde, em Lisboa, ex aequo, em 2021; e António Trindade, fundador e presidente do grupo PortoBay, em 2022.


Créditos da Notícia: Expresso


7 visualizações

Comments


bottom of page