ONA, o primeiro restaurante vegano francês a receber uma estrela Michelin | in "Diário de Notícias"

Claire Vallée impôs a sua cozinha vegan e baseada em plantas quando quase ninguém acreditava. Está agora a colher os frutos.

Claire Vallée, agora com 41 anos, ia seguir os passos de Indiana Jones como arqueóloga depois da licenciatura quando, após alguns meses no que pensava ser um trabalho temporário, decidiu mudar de carreira e dedicar-se à cozinha. Trabalhou em vários restaurantes, aprendeu e após um ano na Tailândia a aprofundar conhecimentos sobre a cozinha asiática, tornou-se vegetariana. "Foi um despertar brutal", conta Claire Vallée na sua página oficial. Procurou um lugar onde pudesse pôr em prática a sua cozinha de sonho e fez nascer o ONA ( Origine Non-Animale), o primeiro restaurante vegan a receber uma estrela Michelin. Embora não seja novidade a atribuição de estrelas a restaurantes vegetarianos e vegan, é a primeira vez que ela é entregue no país-natal do Guia Michelin.


Comprometida com a causa ecológica, Claire Vallée abriu o ONA em 2016, em Arès, uma cidade perto de Bordéus, graças ao crowdfunding e o empréstimo de um banco especializado em financiamento ético, o Le Nef. "Só mostra que nada é impossível", afirmou a chef, citada pela AFP. Por essa altura, poucos acreditavam que uma cozinha vegan e baseada em plantas prosperasse. Tão-pouco acreditavam que o local, Arès, na costa Atlântica, trouxesse clientes. Claire Vallée garante que não guarda ressentimentos: "Cada um faz o seu trabalho".


Ela própria teve as suas dúvidas, contou. "Se éramos suficientemente bons, porque uma cozinha baseada em plantas é difícil e inovadora". Concluiu: "O mais importante é gostarmos de fazer isto".


"É porque acreditaram em mim, nesta louca aposta para lá das minhas dúvidas, ansiedades, medos, mas também graças ao nosso trabalho comum ao longo dos últimos quatro anos que hoje obtivemos a primeira estrela do Guia Michelin", disse aos seguidores no Instagram. "Vamos continuar neste caminho, porque esta estrela é minha, é vossa, é do impossível, é aquele que leva a gastronomia baseada em plantas que é levada para o círculo da gastronomia francesa e global", escreveu Claire Vallée.


Diz que este restaurante nasce "da recusa da exploração animal de todas formas". "Mais do que um restaurante gastronómico, ONA quer ser um lugar de vida, onde o respeito pelo humano, a natureza e os animais estão no centro das nossas preocupações". O Guia Michelin foi publicado na Segunda-feira e tem notado, de ano para ano, a importância dos vegetais e de uma cozinha baseada em plantas que está a encontrar o seu caminho em estabelecimentos onde, até agora, reinavam carne e peixe. À estrela Michelin, o ONA junta a estrela verde que premeia práticas éticas. No ONA, agora encerrado devido à pandemia de covid-19, Claire Vallée propunha um menu de degustação de sete pratos. As combinações que aqui só respeitam uma regra: origem não-animal.


Créditos da Notícia: Diário de Notícias


#michelin #michelinrestaurant #restaurantesvegetarianos #vegan #vegetarianismo #vegetarian #veganfood