top of page

A cozinha vegana festeja-se de norte a sul, com a estreia do The Dirty Vegan Show

Iniciativa gastronómica celebra a diversidade do mundo vegetal com cinco jantares veganos, entre Abril e Outubro. A estreia faz-se no Fava Tonka, em Leça da Palmeira.

dirty vegan show, eventos, restaurantes, veg, veggie

Com o objectivo de dar palco ao mundo vegetal e mostrar a sua versatilidade, o The Dirty Vegan Show chega com a sua primeira edição, que se concretiza em cinco jantares pop-up, em mesas de norte a sul do país. A premissa será a mesma: o chef residente do restaurante em causa e os seus chefs convidados vão criar um menú totalmente vegano, em noites onde se juntam também a música ao vivo e animação. Em todas as ocasiões, no final da refeição será disponibilizada uma das receitas dos pratos servidos aos comensais presentes.


O arranque da iniciativa gastronómica, organizada pelas Edições do Gosto, dá em Leça da Palmeira, no restaurante Fava Tonka, do chef Nuno Castro, já a 20 de Abril. No mês seguinte, a 18 de Maio, a chef Ana Leão terá o menú a seu cargo, n’O Marmorista, no Porto. O chef David Jesus recebe a iniciativa no Seiva, em Leça da Palmeira, a 6 de Junho e a 12 de Julho o menú vegano é liderado por Pedro Abril, chef da Musa Marvila, em Lisboa. O último jantar é feito em Almada, no D’NX Gastronomic Lab, do chef Mauro Loureiro, a 19 de Outubro.


David Jesus, um dos chefs que participam no The Dirty Vegan Show, fala numa maior “consciência sustentável” nos dias que correm. “O mundo vegetal tem uma presença cada vez maior a nível nacional. A pandemia fez com que as pessoas olhassem mais para dentro, tanto a nível de origem gastronómica como origem de produto. Nós temos uma produção vegetal muito maior do que animal. Cada vez mais surgem conceitos gastronómicos de base vegetal e os restaurantes omnívoros procuram [essa cozinha] cada vez mais”, conta o chef, que serviu dois petiscos de sua autoria na apresentação da iniciativa, no Manja Marvila: uns pani puri de cogumelos e especiarias indianas e uma cabidela vegana, de alho negro e cogumelos, ambos na carta do seu Seiva.


A apresentação contou com a presença de outros chefs convidados, que apresentaram criações veganas: Pedro Abril, da Musa Marvila, inspirou-se nos sabores asiáticos para a sua katsu sando de eryngi e para o seu aloo keema; Diogo Pereira, do restaurante Raya, da quinta biológica Terramay, no Alandroal, confeccionou tacos de vegetais e cogumelos silvestres e ainda pakoda com sweet chili; Natália Finger, do novo lisboeta Planto, optou por gratin de hokkaido com aipo, molho de cacau e salada de citrinos; Juliana Penteado, chef pasteleira do Juliana Penteado Pastry, em Lisboa, serviu tarte de chocolate com coco e fava tonka; e Bruno Rocha, chef executivo do Bairro Alto Hotel, apresentou a sua banana split, que vai reforçar a carta do 18.68, recente bar de cocktails e petiscos deste cinco estrelas.


Saiba mais sobre o The Dirty Vegan Show aqui.


Créditos da Notícia: Evasões


24 visualizações

Comments


bottom of page