top of page

Projeto ALFA-BIO quer revolucionar a gastronomia com alfarroba algarvia

Projecto ALFA-BIO dos alunos finalistas da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve (EHTA) pretende revolucionar o sector gastronómico com a alfarroba algarvia.



Alunos finalistas da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve apresentaram as suas criações inovadoras com base na alfarroba, no âmbito do projecto ALFA-BIO que promove a sustentabilidade e inovação com Molhos sofisticados, licores cremosos, barritas nutritivas. A imaginação foi o início do desafio, o talento permitiu a concretização final.


A apresentação dos cinco novos produtos alimentares à base da alfarroba, recurso endógeno do Algarve, decorreu no passado dia 31 de janeiro, na Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve e a pontuação atribuída pelo júri foi elevada.


Composto por representantes do Grupo Nabeiro e da empresa algarvia Grand Carob e ainda empresários da indústria alimentar, professores universitários e formadores da EHTA, o júri foi unânime em reconhecer a qualidade excepcional e o potencial de mercado destes produtos.


O projecto ALFA-BIO, lançado pela EHTA, pretende revolucionar o sector gastronómico. O foco é a sustentabilidade e a valorização de produtos locais, como é o caso da alfarroba, um ingrediente tradicional da região e parte integrante do estilo de vida Mediterrânico e da Dieta Mediterrânica.


Os produtos apresentados pelos alunos incluíram o Sweet Chilli, um molho agridoce que combina a doçura natural da alfarroba com um toque picante; o Cordial, um licor cremoso que reinterpreta a alfarroba numa versão sofisticada; os Alfabites, snacks saudáveis que oferecem uma alternativa nutritiva e deliciosa para lanches rápidos; o Carobyaki, uma inovadora versão do molho teriyaki, enriquecido com o sabor único da alfarroba, e ainda ALTflavours, um molho BBQ que promete revolucionar os churrascos com seu sabor distinto e inovador.


Para Esmeralda Nogueira, aluna finalista do curso de Gestão e Produção de Cozinha, enfrentar este projecto e apresentá-lo, a poucos dias de terminar a formação, «foi uma mais-valia, não só para nos desafiarmos, explorando novas perspectivas, abordagens e técnicas culinárias, como também para proporcionar um conhecimento mais profundo sobre como nascem os produtos que diariamente consumimos, ou seja, o trajecto desde a origem das matérias primas à concepção e produção dos mesmos, até chegarem às nossas mesas».


A ligação ao sector empresarial é uma das mais-valias deste projeto da EHTA, conforme realça o seu coordenador, Abílio Guerreiro: «o ALFA-BIO além de ser um marco na formação prática dos alunos, estabelece um modelo de colaboração entre a academia e o sector empresarial, promovendo a inovação e a sustentabilidade na gastronomia portuguesa. Parcerias com pequenos produtores locais foram fundamentais para o sucesso do projecto, evidenciando o potencial da alfarroba do Algarve como um ingrediente versátil e sustentável».


Os produtos ALFA-BIO prometem abrir novos horizontes no mercado gastronómico, redefinindo o uso da alfarroba e destacando o Algarve como uma região de vanguarda na produção sustentável e na inovação gastronómica.


Estes mesmos produtos serão apresentados ao público, hoje, dia 5 de fevereiro, na Bolsa de Empregabilidade que decorre em Vilamoura, no âmbito a de uma Demonstração Gastronómica que a Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve irá realizar nesse evento.


Créditos do Artigo: Barlavento


留言


bottom of page